Empreender quer dizer que não vou ter salário?

Há uma predominância de que as pessoas escolham a segurança e estabilidade, ao invés de se arriscar em seus projetos.



“Não tenha uma empresa, você não vai ter um salário fixo”. Um dia será levantada uma enquete para saber qual frases você já ouviu de familiares e amigos, e se essa for uma das mais votadas eu dou uma aula de educação financeira básica. E podem me cobrar!


Mesmo com a informação de forma abundante, distribuída e de qualidade é muito comum você ouvir isso e, não é culpa delas de não se informarem. Todavia, nesta frase tem uma verdade, empreendedores tem um salário variável.


Aí vocês vão pensar: “Caramba, mas tem empresários que ganham muito dinheiro e tem carros, comem do bom e do melhor, moram em mansões etc.” Entretanto, eles seguem a mesma lógica que vocês deveriam seguir; o dinheiro que é da empresa é destinado para os gastos da empresa e não para ser gastos para comprar o que o seu coração quer; o dinheiro que está no fundo de emergência não você não vai gastar para comprar os itens que você quer, mas vai ser para a sua empresa quando ela precisar.


E cadê o salário do empreendedor? Você que decide qual o valor do seu salário! Aí vocês pensam: “Se for assim eu estou rico num mês, vou pagar os meus fornecedores e vou pegar o lucro e torrar! ” E aí que mora o perigo.


Imagina que o seu lucro, após pagar as dívidas com fornecedores, foi de R$ 10.000,00, na felicidade você já pensa em finalizar a construção da sua casa ou financiar um carro. E fica feliz que no próximo mês consegue fazer mais do valor e talvez até multiplicar o lucro. Agora vem a hora de identificar os erros destas situações.


1) O lucro que sua empresa teve, não é seu salário


Isso pode não ser, ou não ser, uma novidade para vocês, mas ainda há empreendedores que caem nessa armadilha. Segundo as informações levantadas pelo Serasa em dezembro de 2018, aproximadamente 45% das pessoas entrevistadas sentem dificuldades em controlar a gestão financeira de suas empresas e 5% não tem controle sobre elas.


Voltando aos R$ 10.000 reais de lucro que sua empresa obteve, como você já fez aquelas “aplicações” com o seu lucro, agora a pergunta? Como você vai comprar os insumos de sua empresa para fornecer o produtos e serviços? Caso tenha funcionários, como vai pagá-los? Para responder essas duas perguntas aposto que você vai pegar um empréstimo com alguém, algum conhecido ou até mesmo um banco. Isso pode ser considerado algo bom, porém você pega um empréstimo no valor de R$ 10.000,00 reais para atender as necessidades do seu negócio e trabalhar para obter aproximadamente R$ 20.000,00 reais, depois pagar o banco o valor original mais taxas e torcer para sobrar algum dinheiro, lembrando que você tem as dividas feitas também.


Depois de um tempo você concorda que isso se torna insustentável. E vocês me perguntam: “Pô, falou muito sobre matemática, mas cadê a solução? ”


2) Seja um general com o seu dinheiro


Calma que você não vai precisar entrar no exército para ter tal conhecimento. A metáfora deste título veio a partir da ideia do livro "A arte da Guerra", de Sun Tzu, o livro em questão não é complexo, mas deixa os leitores a interpretar o que ele realmente quer dizer, muitos gostam de tratar esse livro como livro de cabeceira ou manual de bolso dos estrategistas.


Quando o autor fala dos generais, considera-os comandantes sábios, ou seja, é eficaz, detêm habilidades extraordinárias, está atento ao que acontece ao seu redor, no campo de batalha, os generais são responsáveis por tomadas de decisões, além de realocar o que tem disponível de modo eficaz e inteligente. Se for adaptar isso para questão de como ser um comandante sábio com o seu próprio dinheiro, deve-se considerar não só administrar bem, mas também os dividir.


E como assim? Bom, considerando o valor de R$ 10.000,00 reais, agora você vai dividi-los em quatro divisões: fundo de emergência, fundo da empresa, reserva de coeficiente de cagaço e o seu salário. Para cada divisão você vai determinar uma porcentagem, por exemplo o fundo de emergência ficaria com 30% de R$ 10.000,00 reais, o fundo da empresa ficaria com 40% de R$ 10.000,00 reais, a reservar de coeficiente de cagaço seria 5% de R$ 10.000,00 reais e o valor do seu salário (falei que o empreendedor que determina o salário dele) seria 25% de R$ 10.000,00.


Portanto tem-se R$ 3.000,00 reais para o fundo de emergência, R$ 4.000,00 de para o fundo da empresa, R$ 500,00 reais para o fundo de coeficiente de cagaço e o seu salário de R$ 2.500,00. Só para lembrar que você pode adaptar as porcentagens da qual você acha da melhor maneira.


3) O que eu devo ou não devo gastar?


Simplesmente, o valor separado para o salário é o seu, você pode pagar as contas pessoas, comprar roupas, financiar um carro etc. O céu é o limite do valor do seu salário que você estipulou para você mesmo. Você nunca deve pegar o dinheiro que foi destinado para a sua empresa ou o fundo de emergência para gastar como você quiser, o dinheiro da empresa é o dinheiro da empresa e só poderá ser usado para empresa.


O valor do fundo da empresa é para abastecer o seu negócio, caso você precise comprar os insumos para continuar a atender a demanda de seus clientes, melhorar o marketing digital da sua empresa, computadores, serviços de consultoria para soluções do seu negócio entre outras, você usa esse dinheiro.

Aí você me pergunta: “Cara, eu quero testar outros produtos ou serviços com meus clientes, mas parece que não vai ter mais dinheiro no fundo da empresa, o que eu faço? ” Para isso que existe o fundo de emergência, simplesmente você pode usá-lo de formas a melhorar suas gamas de produtos ou serviços oferecidos. Aí você retruca “ Eu gasto esse dinheiro do fundo de emergência e depois fico sem? ” Não necessariamente, o lucro obtido por tal produto ou serviço você pode realocar para o fundo de emergência.

E o fundo do coeficiente de cagaço? Bem, o autor quem vos escreve coloca esse fundo como modo de segurança para pequenas coisas, ou seja, caso falte uma pequena quantia de dinheiro para comprar algo, ele ajuda a suprir.


Indiferente que seja um microempreendedor ou um empreendedor conhecido, todos sabem que a saúde financeira do seu negócio é a mais importante, pois além de ser a base do sustento de muitas famílias, é a base de sustento de outras também. Sempre é possível encontrar pessoas ou empresas que te ajudem a fazer tais melhorias, em diferentes âmbitos do seu negócio. Mesmo um comandante não está sozinho, ele conta sempre com auxilio.


#EstamosJuntos#SempreConectados#Conectados#Empreendedorismo#Comunidades

28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo